Quem são os envolvidos na pesquisa clínica?

null

Pesquisador

Membro da equipe de pesquisa, corresponsável pela integridade e bem-estar dos participantes da pesquisa. (Resolução 466|12 CONEP|CNS|MS)
null

Patrocinador

Pessoa física ou jurídica, pública ou privada que apoia a pesquisa, mediante ações de financiamento, infraestrutura, recursos humanos ou apoio institucional. (Resolução 466|12 CONEP|CNS|MS)
null

Participante da Pesquisa

Indivíduo que, de forma esclarecida e voluntária, ou sob o esclarecimento e autorização de seu(s) responsável(eis) legal(is), aceita ser pesquisado. A participação deve se dar de forma gratuita, ressalvadas as pesquisas clínicas de Fase I ou de bioequivalência. (Resolução 466|12 CONEP|CNS|MS)

O local onde o estudo clínico é conduzido chama-se Centro de Pesquisa e eles podem ser constituídos dentro de hospitais, clínicas de assistência ou locais especificamente designados para isso.

O responsável pela condução de qualquer ensaio clínico é chamado de Investigador ou Pesquisador Principal/Responsável (ou PI – Principal Investigator, como é chamado em alguns  locais). Este profissional pode ser um médico ou um dentista. As pessoas que participam de forma voluntária e consentida de uma pesquisa são chamadas  de Participantes de Pesquisa. Antigamente, de acordo com a resolução do Conselho Nacional de Saúde que regulamentava a Pesquisa Envolvendo Seres Humanos (Resolução nº 196/96 CONEP/CNS/MS), esse indivíduo era chamado de “sujeito de pesquisa”.

Entretanto, essa denominação é obsoleta e não mais aceita, sendo substituída por “participante de pesquisa” conforme a resolução 466/12 que revogou a 196/96.

As instituições que apoiam a pesquisa sob o ponto de vista financeiro, infraestrutura, recursos humanos ou apoio institucional são chamados de Patrocinadores, eles podem ser pessoas físicas ou jurídicas, públicas ou privadas. Existem algumas situações onde o próprio Pesquisador é o Patrocinador do seu estudo, são os chamados estudos de Iniciativa do Investigador. Segundo a Resolução nº 09/2015 da ANVISA, o Investigador/Patrocinador é a pessoa física responsável pela condução e coordenação de ensaios clínicos, isoladamente ou em um grupo, realizados mediante a sua direção imediata de forma independente, desenvolvidos com recursos financeiros e materiais próprios do investigador, de entidades nacionais ou internacionais de fomento à pesquisa, de entidades privadas e outras entidades sem fins lucrativos.

Além dos profissionais indicados, existem diversos serviços e profissionais de suporte à Pesquisa Clínica, tais como empresas de logística, recrutamento, laboratórios de análises clínicas, corretoras.

Autoridades Regulatórias

São órgãos que regulam a forma como um projeto de pesquisa é conduzido

CEP

São colegiados interdisciplinares e independentes, de relevância pública, de caráter consultivo, deliberativo e educativo, criados para defender os interesses dos participantes da pesquisa em sua integridade e dignidade e para contribuir no desenvolvimento da pesquisa dentro de padrões éticos. (Resolução 466|12 CONEP|CNS|MS)

CONEP

Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP/CNS/MS) é uma instância colegiada, de natureza consultiva, deliberativa, normativa, educativa, independente, vinculada ao Conselho Nacional de Saúde, cujo processo eleitoral, organização e competências dar-se-ão de acordo com as normas do CNS. (Resolução 466|12 CONEP|CNS|MS)

ANVISA

Criada pela Lei nº 9.782, de 26 de janeiro 1999, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é uma autarquia sob regime especial, que tem sede e foro no Distrito Federal, e está presente em todo o território nacional por meio das coordenações de portos, aeroportos, fronteiras e recintos alfandegados. Tem por finalidade institucional promover a proteção da saúde da população, por intermédio do controle sanitário da produção e consumo de produtos e serviços submetidos à vigilância sanitária, inclusive dos ambientes, dos processos, dos insumos e das tecnologias a eles relacionados, bem como o controle de portos, aeroportos, fronteiras e recintos alfandegados. (extraído do site da ANVISA|19 de março de 2018)